quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013


 AÇÃO DOS SINDICATOS NA PRIMEIRA REPÚBLICA
(1889-1930)

             A ação dos sindicatos dos operários desde sua criação até 1988 está diretamente vinculada ao tipo de governo, no qual se insere o movimento sindicalista. As fases do movimento sindical correspondem aos regimes políticos vigentes. Tanto em termos regionais, como nacionais, de acordo com as ações desenvolvidas pelos órgãos classistas, é possível determinar as fases seguintes: movimento na República Velha, o movimento na Era de Vargas, o movimento durante o período da redemocratização e o movimento durante o período pós-1964.
1.  O Movimento Operário Durante a República Velha, 1889-1930.
Para entender a ausência de movimento operários locais no período que vai de 1889 a 1930, ou pelo menos sua pouca força, é necessário analisar as características típicas da região colonial italiana.
A imigração italiana que formou a região colonial teve inicio em 1875. A organização colonial proporcionou aos imigrantes a posse de terra. A classe majoritária que se formou eram de pequenos produtores. Tanto na zona rural, onde o colono com sua família plantavam, colhia, produzia e  comercializava, como nos núcleo coloniais , onde o colono produzia artigos manufaturados e os comercializava,  havia então poucos  patrões e empregados. Não ocorrendo este tipo de relação de produção, inicialmente, eram donos de pequeno capital e do produto do seu trabalho.
A situação foi modificada pela introdução da figura do comerciante. É através das casas comerciais que se dá a acumulação de capital. Os comerciantes fazem o intercâmbio de produtos diversos, levados a casa comercial pelo produtor. Tanto na compra realizada com o produtor, como na venda realizada com os compradores, o comerciante aufere lucros. Os comerciantes pagavam preços vis pelos produtos, adulterando-os (como no caso do vinho) e os revendiam por preços compensadores. Agiam como uma casa bancária adiantando
Um estudo realizado sobre a origem do capital aplicado na indústria comprovou que este provinha do comércio. Do comércio derivou-se a indústria e com este surgiu um novo modo de produção. É interessante observar que foram  os produtores que se organizaram inicialmente e não os operários.
As empresas tinham pequeno número de operários e um sistema paternalista. O patrão tornou-se o padrinho dos filhos dos empregados e o financiador das casas de alguns operários.
O pequeno e disperso número de operários, mais aprendizes que operários, impediu sua organização. Nas duas primeiras décadas do século XX não há registros de movimentos paredistas ou reivindicatórios nos jornais do período são noticiados alguns movimentos em empresas, o que indica o inicio de sua organização. O primeiro movimento com registro foi os dos tanoeiros, já no final da República Velha, quando existe  um movimento classista   nacional.
Os tanoeiros eram na sua maioria estrangeiros, portugueses  e italianos, a maior parte dos primeiros  que vinham do  nordeste brasileiro portavam  uma ideologia diversa  da dos operários locais.Eles já  conheciam as organizações internacionais dos trabalhadores bem como o movimento nacional. Não se deve esquecer que também  entre os operário italianos havia alguns que  tinham consciência de classe, como é o caso,dos fundadores do lanifício São Pedro  que eram naturais de Biela(Itália) e que  haviam participado  de uma greve naquele lugar. 
Os tanoeiros portugueses  de certa foram  organizaram  o movimento operário local. Não é possível afirmar que os operários caxienses não se organizariam sem a intervenção dos tanoeiros portugueses ,mas com eles  a organização a partir de do movimento cresceu.
 Para o fraco movimento operário local próprio contribuíram o tipo de relações de produção  instalado nas antigas colônias; a origem estrangeira do grupo e a consequente falta de  integração com os operários do estado>outro fatos decisivo foi a expulsão  de italianos considerados perniciosos à região no início da colonização.
De acordo com os depoimentos de antigos líderes sindicais (cuja longevidade é espantosa) foi o exemplo dos tanoeiros que levou o grupo de operários caxienses a se organizar. Os organizadores da ação dos tanoeiros eram socialistas, isto se evidencia tanto de declarações de testemunhos do movimento, como nos discursos que as atas registraram. Ao organizar o movimento grevista, e  tendo conseguindo a redução de jornada de trabalho para 8 horas e outras vantagens salariais, os tanoeiros representavam na região o início  do movimento livre dos operários .
O movimento dos tanoeiros não se limitou ao município, constatou-se que o mesmo ocorreu em Bento Gonçalves, onde o elemento luso dominava entre os associados da associação.Nessa cidade o movimento não teve êxito, pois se desencadeou num momento em que havia grande número de barris prontos. Este excedente permitiu que a Sociedade Vinícola (empresa que empregava os tanoeiros) fizesse frente aos paredistas, não  tendo atendido às suas reivindicações





Nenhum comentário:

Postar um comentário