quarta-feira, 21 de março de 2012

MAÇONARIA X IGREJA :LUTA PELA HEGEMONIA(2)

Padre Nosadini e e os jovens alunos  da Escola Paroquial de Caxias  .Ca. 1898
IN: Adami

O padre Pedro Nosadini foi  pároco de Caxias de 1896 a 1898.Ele  organizou os Comitês Católicos, associação religiosa  com fins políticos ,que tinha por objetivo  unir os imigrantes italianos católicos. O pároco pouco conhecia da conturbada cena política brasileira pós-proclamação da República, marcada por revoltas internas como a  da Armada (1891),ocorrida no Rio de Janeiroa  Revolução Federalista(1893-1895)no Rio Grande do Sul  e a de Canudos (1896-1898) na Bahia.. As revoltas eram resultado da cisão nacional ocasionada pela adesão à  República que não contava com a simpatia   popular. A monarquia continuava sendo o regime político  preferido por grande parte da população brasileira.
Por outro lado na Itália por ocasião da Unificação  a Maçonaria representada por Garibaldi tinha se voltado contra  a Igreja na figura do Papa Pio IX  e na invasão dos Estados Pontifícios Os imigrantes em sua maioria eram católicos e   industriados pelos párocos voltavam-se contra a Maçonaria como organização satânica divulgadora do mal .A visão distorcida  sobre a Ordem tornou-se lugar comum entre os católicos. Mais tarde (após 1917) foi escolhido um novo demônio: A Rússia e o comunismo.
As revoltas internas constituíam um fato novo no Brasil que só tiveram  precedentes no período regencial. Desta forma os ânimos estavam exaltados  e a ação do Pároco tinha tudo para dar errado.Mas nem tudo que ele fez foi errado; conseguiu  unir os católicos , criou uma escola e um jornal
 A Casa Canônica  situada à esquerda da Igreja ,
lugar onde se deu a expulsão do Padre Nosadini , em 1898.IN: Brandalise
    O padre Nosadini defensor ferrenho do Papa , de certa forma pôs fogo nas relações entre maçonaria e igreja na  colônia italiana gaúcha .Em oito de abril de 1897 foi denunciada pelo Intendente  Campos Júnior  ‘uma sedição’ de colonos que seria ‘capitaneada por um certo Antônio Michelon’  O Intendente  afirmava  que os membros dos Comitês Católicos  eram    fanáticos,  promovendo desordens contra os irmãos.Para ele era quem difamava   a ‘nossa nobre instituição’  como  um’ garoto, um cafajeste e  um vil de batina.’
Ainda assim a  direção da Loja pedia calma aos associados . O venerável deu-se conta que quanto mais o padre falava  contra a Ordem  ‘mais profanos tem aparecido para iniciar-se.’ A luta do padre contra a irmandade rendia  à ela novos membros..
Uma reunião festiva dos comitês foi  realizada em 14 de outubro de 1897 reuniu mais de 800 pessoas na Praça  central de Caxias .Marcou o encontro uma série de palestras  sobre educação comitês e associações.  O movimento católico ganhava força  e passou a ser temido .No dia seguinte circulou  o segundo   número do primeiro jornal regional O Caxiense, ligado a maçonaria e ao  Partido Republicano Riograndense. Nele aparece o telegrama do Marquês de Rudini alertando os intendentes do caráter anarquista e de propaganda papista dos comitês
Com ataques de ambos os lados os antigos núcleos coloniais viviam clima de guerra. Ora uma manifestação maçônica era boicotada, ora uma solenidade católica era dispersa. Poucos períodos foram mais atribulados para a pobre população de imigrantes.
Em 7 de fevereiro de 1898, Nosadini  foi retirado à força da Casa Canônica e  expulso da cidade, por um grupo de 22 pessoas , supostamente maçons e “acompanhados por 24 soldados , que teriam disparado” uns 400 tiros” e após “lhe puseram um cabresto na cabeça como se fosse um animal”. A maçonaria negou o envolvimento no episódio,  pois apenas dois dos envolvidos eram  maçons.
    No mês de junho o Padre voltou “do exílio imposto pelos maçons caxienses e reconduzido ao seu antigo lugar de Vigário, sob grande regozijo dos fiéis, fundou, alguns meses depois, ou seja, a 1º de janeiro de 1898 o jornal mensal ‘Il Colono Italiano’, que se propunha defender os interesses e as causas  dos católicos italianos imigrantes.
Logo os dois órgãos de imprensa O Caxiense  e Il Colono Italiano divulgam    acusações recíprocas .Ocorreu ainda   um atentado contra Campos Jr..Os seguidores do Padre teriam disparado contra a residência do Venerável.  .Poucos meses depois o padre foi transferido para Rondinha.  E logo “depois voltou para a Itália.Lá trocou de nome e nem sequer contou aos parentes que estivera no Brasil por medo da maçonaria.”.
Em Bento Gonçalves  a situação não  foi tão séria .O jornal Bento Gonçalves,  fundado em 1900, reunia entre seus colaboradores associados do  .Partido Republicano e da loja Concórdia. O primeiro número saiu em 20 de Setembro  de 1900 , data importante para a Irmandade.
 Incidente grave ocorreu em Antônio Prado em 11 de dezembro de 1903  quando o  padre Carmine Fasulo ,  a pretexto  dar a extrema unção a um moribundo, sofreu um assalto  perto  de um mato ,quando um grupo de encapuzados o expulsou da vila. Em 1901 foi fundada a Associação de Comerciantes em Caxias, da qual faziam parte muitos maçons. Pouco tempo depois a Loja Força e Fraternidade adormeceu. Aos problemas externos somavam-se os internos, a solução encontrada foi o seu fechamento, desta forma o terreno que havia sido comprado para a instalação do templo foi cedido para irmandade às Damas de Caridade para que fosse construído um hospital. No local foi erigido o Hospital Nossa Senhora. de Pompéia.
Intendência de Caxias ,de 1900 a 1919. Praça Dante Alighieri.Ca. 1910
.Nela se reuniam o Conselho Municipal 



Adicionar legenda

Antigo Hospital Pompéia .Esquina da Avenida Júlio de Castilhos com a Garibaldi 
.Doação da Maçonaria às Damas de Caridade. IN: Brandalise. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário