terça-feira, 27 de dezembro de 2011

ERA UMA VEZ UM DISTRITO DE SÃO SEBASTIÃO DO CAI



São Sebastião do Cai Cerca de 1900.Fonte Bucelli

     O  Vale do Rio Cai é das regiões mais belas do Rio Grande do Sul. O Cai com suas curvas, pedras e ilhas já foi a principal via de acesso entre as colônias da encosta do Planalto e  a capital.Quem vai de Caxias ao Vale  sofre um duplo impacto ,um o da
mudança de pressão que faz os ouvidos doerem como quando um avião  baixa de altitude e outro das  planuras, desconhecidas dos habitantes da Serra.
 Há poucos lugares mais belos do que São José do Cai,visto da  rodovia que liga Caxias a  Nova Petrópolis . O pequeno cemitério mergulhado nas plantações parece a entrada do paraíso.  Até São Sebastião é pequena cidade do vale é bucólica. Fica difícil imaginar que Caxias  já foi seu 5º  distrito .Coisas da política!
O povoamento do vale do rio Cai teve inicio em meados do século XVIII, quando primeiros portugueses aí de instalaram. Antes deles havia nativos. Com a ocupação de suas terras houve confrontos entre índios e lusos,os primeiros foram aos poucos sendo dizimados e expulsos da região.

O  Padre Clarque , vigário de Triunfo , e do Vale  anotou em  janeiro de 1757, no Livro Tombo, que entre os rios dos Sinos e Caí havia oito fazendas.. No ano seguinte relacionou os paroquianos que lá vivam, em 16 casas.Os seus  moradores eram 92 em idade de confessar ( ou seja maiores de sete anos) .Dos quais 24 eram escravos, 11 agregados ou camaradas e 57 membros das famílias dos proprietários, num total 149  habitantes .Em cada casa fazenda  viviam em média  nove pessoas desses quatro eram trabalhadores, dos quais   três eram escravos.
Os escravos eram comuns nas fazendas do Vale.  Madame van Langendonk,belga e  rica viveu Santa Maria da Soledade (hoje  município de São Vendelino ) entre 1857 e  1875   .Ela escreveu suas memórias onde  conta dos escravos que viviam no Vale enquanto a colônia onde vivia era desbravada e povoada. Ela conta dos ataques dos índios às plantações, dos escravos fugidos, dos alemães mal encarados e criminosos  e das fazendas servidas pelos escravos por onde ela passou.  
Segundo o livro de batismos da freguesia de São José do Hortêncio de 1849 a 1863  lá viveram   Manoel Machado casado com Virginia Machado,Luiz Leite de Oliveira , Olivério Ignácio da Silva, José Rodrigues da Silva ,Lino José da Silva Machado ( grafado como  Maixado )Felisberto José dos Santos, Manoel de Lemos e Justiniano José de Mendonça  e Antônio Guimarães  proprietários de terras e de escravos .

Porto do mercado Porto Alegre cera de 1900 Fonte Bucelli

Porto de Guimarães .Cai .Cerca 1900 Fonte Bucelli

     Antônio Guimarães e seu irmão Quirino abriram casa  de negócio. A região tomou o nome de  Porto  Guimarães. Nas proximidades do passo Selbach havia uma balsa  na qual  carros, cavalos e pedestres podiam atravessar o rio.
 São Sebastião pertenceu a Porto Alegre até 1846, quando  São Leopoldo  se tornou município junto com  Santana do Rio dos Sinos ( que abrangia a maior parte do atual município  de Cai) passou a a  3º Distrito  .O  vale do Cai  recebeu colonos  alemães provenientes do vale do rio dos Sinos.a partir de  1848.Nesse ano foi criada a freguesia de São José do Hortêncio.  Sua população era cerca 50 proprietários de terras e de escravos entre eles João Ferraz Ely, Catharina Adams,Francisco Trein Mathias Freiberger ,Sara Auler ,Daniel Arend,Pedro Muller,Margarida Schimidt,Germano Genz,Antônio Sauer, Miguel Stroeber. Em 1º de maio de 1875, São Sebastião foi emancipado de São Leopoldo

Anuncios em jornais de Caxias

Anuncios em jornais de Caxias


No final do século XIX o porto Guimarães se desenvolveu com o transporte e a passagem  e de  imigrantes italianos que de Porto Alegre seguiam em direção as colônias serranas .Là pernoitavam e se abasteciam .
Anuncio de Linhas de vapor Porto Alegre Cai.
               Os produtos do trabalho dos colonos italianos  eram exportados pelo Porto Guimarães  O transporte das mercadorias contava com  linhas diárias de vapores entre a Capital e Cai.A distância era percorrida em cerca de seis horas e era  realizada  por vapores de alto calado. Vários  eram os horários dos  vapores  seguiam entre os dois portos .um deles era o Otto,  de propriedade de João Luiz Sherein,que saia de Porto alegre as 3ª e 6 ª ao meio dia e de São Sebastião  as 6 horas da tarde das 4ª e  dos sábados.Quando Caxias deixa a condição de colônia  foi anexada à São Sebastião do Cai como seu 5º distrito.
Durante muitos anos ligando  entre Caxias e São Sebastião havia serviços de diligência de José Jaconi . Nos jornais de Caxias na primeira década do século XX  muitas eram as  propagandas de serviços de  transportes . Hotéis familiares  ofereciam  serviços aos viajantes  das colônias tanto em  Cai como em Porto Alegre. . Em 1906 Buccelli descreve  a viagem que realizou entre Porto Alegre e Sebastião do Cai ,no vapor Garibaldi,que partiu do porto do Mercado as 8 da manhã chegando ao entardecer em São Sebastião, com uma  velocidade era de 9 a 10 milhas por hora. Fluxo que continuou até 1910. ..  
Ao longo do Porto foi se criando a infra-estrutura necessária aso viajantes como hotéis e casa de pasto  e de venda de lenha .Ainda foram criadas industrias da banha,  como a de Adolfo Oderich , A.J. Renner, Frederico Mentz e Cristiano Trein. Essas empresas anunciavam nos jornais caxienses, onde a produção de porcos era grande.A estrada Rio  Branco  que ligava Caxias ao Cai era percorridas por  varas de porcos tangidas pelos colonos. Giuseppe Slomp morador no lote A  do travessão Norte, da 2ª Légua da antiga colônia vendia seus porcos,  para a Oderich.situada no vale do Cai.Buccelli na já citada  viagem  encontrou uma dessas tropas de porco fato que o espantou pelo inusitado da situação.

Tropa de  porcos .Fonte Sueli Maria da Silva>Tropeirismo de Porcos (2007)


Nenhum comentário:

Postar um comentário